nov 14, 2018

 

A certificação digital é uma realidade para a validação de documentos e transações eletrônicas não só no Brasil, mas também em outros países. Conheça algumas das nações que também usam certificados digitais para facilitar o dia a dia de seus usuários.

Mundo afora, tudo começa pela identidade dos cidadãos. O DIN (Documento de Identificação Nacional), modelo de identificação digital que o Brasil está implementando, é semelhante ao usado em outras nações. As características de alguns sistemas ao redor do mundo facilitam a vida de usuários e desburocratizam processos com agilidade e segurança.

 

Em geral, as informações de identificação do cidadão são agrupadas e armazenadas num único dispositivo com chip (smart card). Também poderão ser incluídas no mesmo dispositivo os certificados digitais – como os emitidos pela Serasa Experian – e as identificações profissionais emitidas por entidades de classe.

 

Países como os Estados Unidos, a Índia, a Turquia, a Indonésia, o México, a Arábia Saudita, a Suíça e os países que integram a União Europeia usam as assinaturas eletrônicas como meio legal e seguro para a autenticação de documentos e processos eletrônicos.

 

A Estônia é o grande modelo mundial de redução de processos burocráticos: o sistema de identificação digital é obrigatório aos cidadãos e oferece diversas soluções em um mesmo cartão. O país venceu barreiras de confiabilidade e segurança para estabelecer a democracia digital e hoje, por exemplo, conclui a venda e a transferência de um veículo em um processo de 15 minutos.

 

Os estonianos podem usá-lo para identificação em viagens dentro da União Europeia, para atendimento no sistema de saúde e compartilhamento de informações de prontuário médico, para certificação e validação digital de acesso a contas bancárias em computadores pessoais, além de assinaturas digitais, serviços governamentais e votação à distância nas eleições.

 

Na Espanha o cidadão aproveita as facilidades do certificado digital integrado a um documento único, o DNI. Este reúne todos os dados pessoais do portador e inclui informações sobre biometria, dividindo espaço com o sistema de certificação digital implantado no país pela Casa da Moeda espanhola.

 

Os espanhóis também usam o documento em suas viagens ou para dirigir, além de obterem acesso a prédios públicos e fazerem a declaração do imposto de renda pela internet –como acontece no Brasil.

 

Fontes: FNMT / ITI / OKFN

 

 

Tags: , ,

0 Comentários

Deixe um Comentário